É o terceiro menor estado da Europa (depois do Vaticano e Mônaco), e afirma ser a república mais antiga do mundo. Segundo a tradição, foi fundada por um pedreiro cristão chamado Marinus em 301. Política externa de San Marino está alinhada com a da Itália, o que o rodeia. Tendências sociais e políticas da República também acompanhar de perto com os de seu vizinho maior.

San Marino, uma das mais antigas antigas republicas do mundo e uma das menores da Europa(3°) e do mundo(13°) com 61 quilômetros quadrados. O país fica localizado próximo ao mar Adriático, dentro do território italiano.

A cidade foi fundada por San Marino e refugiados cristãos que fugiam das perseguições romanas no ano de 301. O território que correspondia apenas ao da cidade era protegido por três torres, e com a grande população de refugiados cristãos e outros, fez o território se expandir. A cidade recebe pelo menos 3 milhões de visitantes por ano.

História

A República de San Marino teve a sua origem no século IV d. C., quando, de acordo com a tradição, São Marino e um grupo de cristãos se fixaram neste local para fugir às perseguições. Mais tarde, no século XII, desenvolveu-se numa comunidade autorregulada e com estatutos próprios.

Esta comunidade sentia-se apta para se tornar autônoma, não fosse ter sido usurpada pelos bispados vizinhos, em parte devido ao seu isolamento e às fortificações construídas nos montes. Nos meados do século XV foi uma república governada pelo Grande Conselho de 60 homens de Arengo. Protegida de sérios ataques, incluindo a ocupação de César Bórgia, San Marino sobreviveu ao Renascimento como uma relíquia italiana de cidade-estado. Tendo sido regulada por uma oligarquia que o Estado Papal tentou anexar, o século XVIII marcou o início do declínio da república.

Quando Napoleão invadiu a Itália respeitou a independência da república e ofereceu-se para aumentar o seu território, em 1797. O Congresso de Viena de 1815 reconheceu-lhe o estatuto de independência. Durante o século XIX, com o movimento para a unificação italiana, San Marino ofereceu asilo aos revolucionários, entre os quais Giuseppe Garibaldi. A Constituição de San Marino baseou-se nos estatutos de 1600, que provêm de uma forma parlamentar de governo, o qual é constituído por 60 membros eleitos por cinco anos, que têm poderes legislativo e administrativo. Todos os seis meses são nomeados dois capitães regentes. A República de San Marino singulariza-se pela continuidade de instituições da Idade Média.

Torres de San Marino

As três torres existentes em San Marino foram construídas para proteger a cidade de ataques vindos de Rimini.

La Rocca (primeira torre). 20 de março a 20 de setembro aberto das 8:00-20:00 e de 21 de setembro a 19 março 8:50-17:00 e permanece fechada nos dias de natal, ano novo e 2 de novembro. É a torre mais antiga e maior torre da cidade. O local já foi usado como prisão e possui uma Capela na torre sul. Custa € 3 para visitar a torre.

La Cesta (segunda torre), Monte Titano. 20 de março a 20 de setembro aberto das 8:00-20:00 e de 21 de setembro a 19 março 8:50-17:00 e permanece fechada nos dias de natal, ano novo e 2 de novembro. A segunda torre foi usada como vigiar a cidade, e atualmente abriga o museu de armas antigas com mais de 700 artefatos. Custa € 3 para visitar a torre.

Montale (terceira torre). A torre não é acessível ao publico. A torre que usava um sino para alertar o perigo, era usada como prisão que ficava a seis metros de profundidade.