Piazza San Marco, a grande laguna, as gôndolas no Canal Grande, a Ponte dei Sospiri, o Carnaval desenfreado, os grandiosos monumentos arquitetônicos, as obras-primas de arte, os suntuosos palácios, a magia das "calli", o Festival Internacional de Cinema, a Bienal de arte, o Teatro della Fenice, as universidades de prestígio, os muitos sinais do esplendor e da riqueza fastuosa de uma potência marítima que dominou o Mediterrâneo durante cinco séculos.

Mas o Vêneto não é só Veneza, e a natureza vêneta não é só mar. A montanha vêneta exprime cenários de rara beleza. As Dolomitas vistas de Cortina dí Ampezzo, famoso local turístico na província de Belluno, são um espetáculo grandioso.

E toda a área do delta do Pó, na província de Rovigo, é algo único do ponto de vista ambiental, de excepcional interesse naturalístico. Em Padova, cidade antiga e culta, a majestosa Basílica que guarda as relíquias de Santo Antônio atrai a cada ano milhões de peregrinos.

É grande também a atração exercida pelas Ville Palladiane, assim chamadas pelo nome de seu autor, o grande arquiteto Andrea Palladio, que, no século XVI, projetou e realizou edifícios que ainda hoje provocam admiração e espanto pela sua beleza harmoniosa, como a Rotonda de Vicenza. Em Verona, a cidade imortalizada por Shakespeare em Romeu e Julieta, uma noite de ópera na Arena é um programa obrigatório no verão.