Você quer conhecer a Grécia? Venha para a Sicília. Isto é um paradoxo, sem dúvida, mas só até certo ponto. As cidades gregas da Sicília (Agrigento, Selinunte, Segesta, Siracusa, Sicilia para citar só as maiores) estavam entre as mais belas do mundo helênico.

Visitar hoje o Vale dos Templos em Agrigento ou assistir a um spetáculo de verão no grandioso Teatro Grego de Siracusa é um autêntico mergulho no longínquo passado helênico. E o mesmo acontece, na Sicília, com muitas outras épocas e civilizações, da espanhola à francesa. Com a única exceção da dominação árabe, que deixou poucos vestígios físicos.

A Sicília é um livro de história e de história da arte, um compêndio das maiores civilizações e culturas de todos os tempos.

Uma ilha solar, com uma natureza rica em contrastes, com um esplêndido litoral e uma refinada, deliciosa e variada gastronomia, de sabores antigos e aromas refinados: a quinta-essência da "mediterraneidade", porém cheia de complexidade e de refinamento intelectual, tão bem representada pelas obras-primas literárias de Luigi Pirandello, Giuseppe Tomasi di Lampedusa, Leonardo Sciascia, Gesualdo Bufalino e, hoje, de Andrea Camilleri.

Cada estilo, cada corrente artísticaé sobejamente representada na Sicília. Nas cidades como Palermo, Catânia, Caltanissetta, Enna, Siracusa, Ragusa, Trapani, Agrigento, Messina. E nos centros menores, como Cefalù, encolhida em torno da catedral normanda, ou Noto, com a sua extraordinária catedral barroca, ou Taormina, com seu esplêndido teatro greco-romano.