Se desenvolve nos contrafortes do grande arco alpino: Alpes Marítimo, Graiano, Penino e uma pequena parte dos Alpes Leppontino

Turim, capital do Piemonte, tem fama de cidade mágica. E só pode ser mágica uma cidade que, Piemonte considerada capital da grande indústria italiana (aqui fica a sede da FIAT, uma das maiores indústrias automobilísticas do mondo), também é um dos centros de maior atração turística da Itália.

Não por acaso, naturalmente. Em Turim, no Duomo da cidade, é guardado o Santo Sudário, o antigo lençol de linho em que, segundo a tradição, foi envolvido o corpo de Cristo ao descer da Cruz.

Encontram-se em Turim o Museu Egípcio, que conta com uma extraordinária coleção de arte do Antigo Egito, e a Galeria Sabauda, rica em obras-primas de grandes artistas europeus. Em Turim, enfim, acham-se alguns grandes testemunhos monumentais do papel de protagonista que o Piemonte teve na história italiana dos últimos séculos, como sede da Casa de Sabóia (a dinastia que reinou na Itália até 1946) e primeira capital do Reino da Itália: Palazzo Reale, Palazzo Madama, a Mole Antonelliana, a Villa Reale de Stupinigi.

São também numerosos no resto do Piemonte, nas cidades e províncias de Novara, Vercelli, Cuneo, Alessandria, Asti, os testemunhos monumentais, civis e religiosos do passado: fortalezas, basílicas, conventos.

Em número grande demais para que deles apresentemos só poucos exemplos. Esplêndidos e variados os cenários naturais: montanhas, vales, colinas (são famosas as Langhe, que servem de ambiente para muitas narrações de Cesare Pavese e Beppe Fenoglio, famosos escritores do Piemonte), lagos (Maggiore, d'Orta, de Viverone), o Parque Nacional da Valgrande. É rica e de prestígio a tradição gastronômica e vinícola (são do Piemonte alguns dos grandes vinhos italianos).