A mais rica, a mais desenvolvida, a mais populosa região italiana. E, justamente por isso, uma das mais surprendentes e Lombardia imprevistas para o turista que ali chegar sem saber muita coisa sobre o seu patrimônio histórico, monumental, artístico e natural.

Vejamos o caso de Milão, grande cidade industrial e comercial. Aqui, tudo o que é moderno e avançado se sente em casa: da inovação tecnológica à moda, da publicidade ao design, dos modelos de vida às "experiências" políticas.

Milão dita a moda. E no entanto, por baixo de seu aspecto pesado de metrópole moderna e dinâmica, inteiramente projetada para o futuro, Milão esconde extraordinários tesouros arquitetônicos e artísticos. Resta apenas a dificuldade na escolha: do Duomo ao castelo Sforzesco, do Teatro alla Scala à Pinacoteca de Brera.

E no resto da Lombardia abundam esplêndidas paisagens naturais (os lagos, o Parco dello Stelvio), monumentos e obras de arte de altíssimo valor. Em Monza, em Varese, em Como, em Bergamo, em Bréscia, em Pavia, em Lodi, em Cremona, em Varese, cadaépoca deixou a sua marca cultural e artística: nas estruturas urbanísticas, nas igrejas, nos edifícios civis.

Do românico ao gótico, do renascentista ao barroco, até as mais ousadas e inovadoras soluções arquitetônicas e artísticas da modernidade e da atualidade: a Lombardia ostenta um imponente patrimônio cultural e artístico. Para muitos, todo ele ainda por descobrir.