Um pedaço da pré-história nos dias de hoje. Encontra-se em Matera, e a UNESCO, a organização da ONU que trata de educação, ciência e cultura, proclamou-a "patrimônio da humanidade".

Trata-se dos "sassi di Matera" (literalmente, pedras de Matera), uma das mais singulares, antigas e extraordinárias povoações humanas do mundo, que há décadas chama a atenção de estudiosos e artistas do mundo inteiro (o escritor italiano Carlo Levi referiu-se a eles em seu famoso livro "Cristo si è fermato a Eboli").

Nas "pedras", as casas são escavadas na rocha de tufo e as paredes são construídas com o mesmo material escavado. Habitadas até pouco tempo atrás, hoje as "pedras" foram esvaziadas e são objeto de trabalhos de restauração e valorização cultural e turística.

Uma visita aos "sassi di Matera" é uma experiência realmente única. Mas esta não é a única razão para se ir a essa pequena, isolada, belíssima região, banhada por dois mares: o Tirreno e o Jônio. Encontram-se na Basilicata ruínas gregas (Metaponto), igrejas e castelos medievais (Melfi, Lagopesole), praias lindíssimas (Maratea), uma natureza não poluída (a Basilicata divide com a Calábria o esplêndido Parco del Pollino).

E Matera não tem só as "pedras":é também de grande interesse, por exemplo, a singular mistura de românico e barroco da Igreja de S.Francesco.

Enfim, por que não programar uma esticada até Venosa, pátria do grande e sábio poeta latino Horácio? Ali, entre outras coisas, se poderá admirar a Abadia medieval da SS.Trinità e outros monumentos interessantes. Na capital da região, Potenza, velhos e recentes terremotos danificaram gravemente o centro histórico. Mas o Museu arqueológico merece uma visita.