Abruzzo detém um record, trinta por cento do seu território é protegido por leis ambientais. Abruzzo Nenhuma outra região da Europa pode gabar-se de algo assim. Não é por acaso que ela é chamada de "a região dos parques".

Trê s Parques nacionais, um Parque regional e dezenas de áreas e reservas naturais protegidas. Numa região assim, parece natural que a capital se chame L'Aquila - a águia, em italiano. Dominada por um imponente Castelo do século XVI (que hospeda o Museu Nacional de Abruzzo), L'Aquila tem esplêndidos monumentos civis e religiosos, medievais e renascentistas.

Na costa de Abruzzo (que conta com estabelecimentos balneários muito freqüentados) se sobressai Pescara, pátria de Gabriele D'Annunzio (cuja casa natal é hoje um pequeno mas sugestivo museu). Em Chieti há um importante Museu Arqueológico Nacional, conhecido (e premiado) pela modernidade e pela eficácia da sua organização expositiva.

O "ponto forte" do Museu é o Guerreiro de Capestrano, uma está tua funerária do século VI a.C., encontrada na província de L'Aquila em 1934. Em Teramo, no interior do Duomo,é imperdível o estupendo Paliotto - ornamento da parte anterior do altar - do século XV, de autoria do grande ourives natural de Abruzzo, Nicola da Guardiagrele.

Mas o Abruzzo é surpreendentemente rico em tesouros arquitetô nicos e artísticos, quase tanto quanto em tesouros naturais e em tradições populares (como a "festa dei serpari" de Cocullo, que a cada primeiro domingo de maio leva milhares de pessoasà minúscula aldeia).