Parques nacionais

A Europa possui uma enorme riqueza natural e é ativa na hora de sua proteção: são mais de 350 parques nacionais! Todos os anos este número varia porque cada país está habilitado para abrir novos parques nacionais para preservar áreas mais frágeis.

Os parques nacionais da Europa oferecem aos visitantes uma enorme variedade de paisagens. Dependendo do país que escolher, você poderá ver a paisagem dos Alpes, relevos cársicos, lagoas, rios, zonas de marés, ilhas, bosques, zonas alagadas, pampas ou estepes. As reservas estão repletas de diferentes espécies de flora e fauna, algumas delas infelizmente em vias de extinção.

A ampla gama de parques torna possível uma oferta igualmente variada de atividades ao ar livre. As caminhadas são a forma mais popular de visitar os parques respeitando o meio ambiente. No entanto, alguns parques oferecem também bicicletas e passeios à cavalo e de charrete. Nas áreas mais montanhosas é possível fazer escaladas, pescar, fazer travessias em balsa, praticar canoagem, ou fazer um passeio em um barco à vapor como os do rio Elba na Alemanha. Na beira do mar você poderá desfrutar de um passeio de barco ou poderá entrar numa pequena embarcação para observar os pássaros nos pântanos e nas lagoas. Em alguns casos, os passeios a pé podem durar vários dias e, assim você poderá dormir ao ar livre, sob as estrelas.



Porém, não se esqueça que as atividades disponíveis mudam segundo o parque. Alguns têm regras muito restritas, sendo que sempre se deve procurar informações nos postos de turismo ou nos próprios parques acerca das regras detalhadas que é preciso conhecer para visitar e desfrutar destas áreas naturais protegidas.

Alguns parques nacionais europeus foram classificados como Patrimônio da Humanidade pela UNESCO, cuja missão é a proteção e preservação do patrimônio cultural e natural do mundo todo.

Parques Nacionais do Benelux

A Holanda conta com 20 parques nacionais em Frísia, Gueldres, Utrecht, Zealand e Brabante do norte. O Parque Nacional Drenst-friese World combina bosques, brejos e areias numa área de 6100 hectares.

O Parque Natural Haute Veluwe é o maior da Holanda. Suas paisagens florestais, suas dunas móveis e seus brejos abrigam corços, porcos, muflões (carneiros selvagens) e numerosas espécies de pássaros.



A Bélgica não tem parques nacionais no sentido estrito, mas a visita ao Parque Natural Haute Fagnes é obrigatória, uma bela área de colinas, charcos, zonas alagadas e turfeiras que se alargam até onde a vista alcança.

O Parque Natural Upper Sûre se encontra entre a Bélgica e Luxemburgo, nas Ardenas luxemburguesas. Ambos os países compartilham um projeto para desenvolver esta área fronteiriça mediante visitas temáticas baseadas em lendas locais.

Reino Unido e Irlanda

A República da Irlanda se orgulha dos seus seis parques nacionais, cada um deles com uma paisagem especialmente bela. O mais reconhecido pelas suas montanhas cheias de lagos é o parque nacional Killarney, no condado de Kerry. Este é também o santuário da última geração de veados selvagens da Irlanda. O Parque Nacional Connemara se distingue pela sua paisagem lunar de turfeiras infinitas.

O Reino Unido conta com catorze parques nacionais. Oito deles se encontram na Inglaterra: Não perca nenhum deles, das falésias de Exmoor, aos dezesseis lagos de Lake District. Em Gales, além de visitar os parques Brecon Beacons e Pembrokeshire Coast, arrume um tempo para visitar o parque nacional Snowdonia.

A Escócia convida a explorar a paisagem espetacular de dois parques regionais: Cairngorms (criado em 2003), e Loch Lomond.



Báltico


A Letônia tem três parques nacionais. O primeiro, o Parque Nacional de Gauja, se encontra a 53 km de Riga, e se estende ao longo de 100 km do rio Ganja e seus afluentes. Os outros dois são o Parque Nacional de Kemeri e o Parque Nacional Slitere.

Na Lituânia visite cinco parques nacionais, todos eles abertos em 1991 após a separação do país da antiga União Soviética. Estes parques são o símbolo da preservação do meio ambiente e do turismo ecológico no país.

Os parques mais conhecidos dos cinco que se encontram na Estônia são Lahemaa e Karula. Os principais atrativos de Lahemaa são as suas praias de areia, seus imensos bosques de pinheiro, suas 200 espécies de pássaros e suas mais de 90 espécies de plantas.

Europa ocidental

A Alemanha oferece aos visitantes uma seleção de catorze extraordinárias paisagens maravilhosamente conservadas: das altas montanhas de Berchtesgaden aos bosques de haias de Eifel às zonas alagadas de Hamburgo, Baixa Saxônia e Schleswig-Holstein.

A ilha de Rügen, no mar báltico, abriga dois parques nacionais: o parque nacional Jasmund, com suas falésias, e o parque nacional Vorpommern Mudflats.

Os sete parques nacionais da Áustria cobrem mais de 2356 km2 e abrangem maciços alpinos, bosques aluviais, vales e planícies. Quatro parques se encontram nos Alpes: os parques nacionais Hohetauern, Kalkalpen, Gesäuse, e Nockberge. Porém, a Áustria se orgulha igualmente de suas pradarias, planícies e terras de pastagem dos parques nacionais Neusiedler See-Seewinkel e Donau-Auen, formado pelas planícies do Danúbio,além do recém-chegado parque nacional Thayatal, criado em 2000.



A França por sua vez tem sete parques nacionais que atraem sete milhões de visitantes ao ano. Além do parque nacional dos Alpes, o parque nacional Vanoise, destacam-se os parques nacionais de Ecrins e Mercantour, as magníficas áreas do Parque Nacional Cévennes, em Lozère, o Parque Nacional dos Pireneus, próximo da Espanha, e o Parque Nacional Port-Cros, uma ilha mediterrânea próxima de Lavandou. As colônias que ainda incorporam o território francês também oferecem uma natureza protegida: o exótico Parque Nacional de Guadalupe, no Caribe, e duas áreas em processo de transformação em parques, uma boa parte da Ilha de Reunião e o parque amazônico da Guiana Francesa.

O Parque Nacional da Suíça é o único parque nacional do país, criado em 1914, é a maior reserva natural suíça. Ele é famoso pela sua riqueza de variedades de fauna e de flora alpina.

Europa central


A Bulgária possui três parques nacionais: o Parque Central dos Bálcãs, o Parque Nacional Rila e o Parque Nacional do Pirin. Esta última reserva é um imenso território de planaltos e bosques que se encontram entre os mais antigos da Europa, assim como numerosos lagos. A vida animal (camurças, gatos selvagens, ursos e aves de rapina) e a vida vegetal são abundantes e estão bem protegidas. Este parque foi declarado Patrimônio da Humanidade pela UNESCO em 1983.

Impressionantes 994 km2 na Croácia são parques nacionais, sendo 235 km2 espaços marinhos. Os oito parques localizados em território cársico são caracterizados por três tipos de paisagem bem diferentes. Os parques de Risnjak, Paklenica e Sjeverni Velebit estão nas montanhas cársicas esverdeadas, nas quais a erosão criou grutas naturais e formações curiosas. Os parques de Kornati, Mljet e Brijuni são formados por ilhas. Plitvicka Jezera e Krka possuem um número grande de rios e cascatas.

Montenegro possui quatro parques nacionais: Durmitor, com dezessete lagos de origem glacial, incluindo o famoso Lago Negro, a fascinante Cova de gelo e o canyon Tara, o maior da Europa.



O parque nacional Biogradska Gora é uma das três últimas selvas da Europa. O parque Lovcen, localizado no monte de mesmo nome, e o parque Skadarso, o maior santuário para pássaros e o último habitat de pelicanos da Europa, possuem paisagens de perder o fôlego.

A Sérvia pode se orgulhar dos seus cinco parques nacionais, dentre os quais se destacam o Parque Nacional Djerdap, um conjunto de vales e canyons atravessados pelo Danúbio, o Parque Nacional Fruska Gora, conhecido como “Espelho do Passado Geológico” e o Parque Nacional Kopaonik, que integra a montanha mais alta e mais visitada da Sérvia. Este´último é famoso pela sua beleza natural, pela enorme variedade de plantas e animais e pelos lindos vales com rios e quedas d’água. O parque é o lugar ideal para praticar esqui, snowboard, escalada, caminhada, ciclismo, paraquedismo e muito mais.

Dos dez parques nacionais da Hungria, o maior é o parque nacional Hortobágy, com 52 mil hectares de planícies e pântanos. Porém, se puder, dedique algum tempo ao parque nacional do planalto de Balaton e também ao de Danubio-Drava. Você não se arrependerá!

A Polônia tem muitos parques nacionais, um total de vinte e três, cada um deles representativo da sua região e da beleza natural do país.

O Parque Nacional Pieniny conta com uma grande variedade de espécies raras de flora e fauna numa paisagem com estradas sinuosas e estreitas. Na costa báltica há dois parques nacionais: o Parque Nacional Slovinie, onde as dunas de areia se movem cerca de dez metros por ano, e o Parque Nacional Wolin, que ocupa a parte central da ilha Wolin. Enormes colinas surgem com íngremes falésias em um dos lados da ilha enquanto que lagos mesclam-se à paisagem do outro.



Entre os onze parques nacionais da Romênia se encontra o Reteza, onde convivem uma espécie muito rara de abutre, camurças, marmotas, javalis, linces e ursos.

O Parque Nacional Monte Rodna ainda conserva vestígios de glaciais do período quaternário. As suas formações cársicas criaram numerosas grutas.

A Eslováquia é muito orgulhosa dos seus novos parques nacionais, e com razão. O Parque Nacional dos Tatras Baixos é repleto de grutas e lagos de montanha, fontes de água limpa e fontes termais. O parque Nacional “O Paraíso Eslovaco” (Slovenský raj), oferece aos seus visitantes incomparáveis gargantas, rios e cascatas.

A República Tcheca tem quatro parques nacionais cheios de bosques e montanhas que servem de refúgio para lobos, linces e gatos selvagens: os parques nacionais de Krkonoše (“montanhas gigantes”), Sumava, Bohemia Suiza, e Podyji.

Escandinávia

A Suécia foi um dos primeiros países a criar parques nacionais, atividade que começou em 1909. Os seus 29 parques nacionais são geridos pela Agência de proteção ambiental da Suécia. O Parque Nacional Färnebofjärden é um mosaico de habitats nas margens do curso inferior do rio Dalawer.

O Parque Nacional Stenshuvud amplia o comprimento da costa e abrange vastas praias de areia que convidam a longos passeios.

A Lapônia oferece vários parques nacionais com paisagens que não perderam a sua beleza natural: enormes montanhas que surgem de lagos glaciais, rios e zonas alagadas e imensos bosques de faias. O Parque Nacional de Abisko tem um clima temperado e uma enorme diversidade de espécies vegetais graças à sua localização geográfica.



A Dinamarca apenas tem um Parque Nacional, mas ele é enorme, na Groenlândia. O Parque Nacional North East Greenland, gerido pelo Ministério do Ambiente e da Natureza da Groenlândia, é o maior parque do mundo, com 972 mil km2. Localizado no norte da ilha, abriga espécies selvagens típicas do Ártico, como ursos polares, renas e morsas.

A Finlândia, terra dos mil lagos, se orgulha de seus trinta e cinco parques nacionais, que possuem abundantes bosques, rios e lagos. Na Lapônia finlandesa, no norte do país, o Parque Nacional Pallas-Yllästunturi é uma terra de tundra e montanhas baixas. Estes imensos vales são um verdadeiro paraíso para fazer trekking e assistir à aurora boreal.

A Noruega possui 25 parques nacionais de paisagens que variam enormemente, incluindo altas montanhas, fiordes, bosques e lagos. Quase 85% dos parques da Noruega são montanhosos. O acesso é gratuito em todos os espaços abertos do país. Forollhogna se transformou em Parque Nacional em 2002 para proteger o único grupo de renas da região. Jostedalsbreen, no norte de Sognefjord, possui o maior fiorde em terra firme da Europa. No parque nacional Dovrefjellet é possível realizar um safári que segue a pista do antigo boi almiscareiro.

A Islândia, terra de gêiseres, tem quatro parques nacionais. Jökulsárgljúfur, no norte do país, apresenta uma extraordinária paisagem de montanhas coloridas, resultado de uma erupção vulcânica que teve lugar sob o rio. O Parque Nacional Skaftafell, no sul, é conhecido pelas suas temperaturas mais temperadas e pelas suas florestas de bétulas e geleira. Também são importantes o parque nacional Snæfellsjökull, no lado ocidental da ilha, e o parque nacional Þingvellir, no sul.



Europa oriental

Dez parques nacionais se encontram dentro das fronteiras da Ucrânia. Os lindos montes do Parque Nacional dos Cárpatos, criado em 1980, se estendem numa superfície superior a 50 mil hectares. O grupo de parques é formado por montanhas relativamente baixas atravessadas por cascatas, rios e enormes bosques.

Península Ibérica

Os catorze parques nacionais da Espanha representam perfeitamente as regiões nas quais se situam. São importantes pela sua variedade, mas, acima de tudo, pela sua impressionante riqueza ecológica. Alguns deles, como os Picos de Europa, Ordesa y Monte Perdido nos Pireneus, são o último refúgio de certas espécies em risco de extinção.

O Parque Nacional de Doñana, na Andaluzia, oferece refúgio a colônias de pássaros e ao lince ibérico, o emblema do parque. A margem direita do rio Guadalquivir oferece vistas de lagoas, zonas alagadas e dunas de areia. Outros parques são fantásticos observatórios de aves, como o Parque Nacional das Ilhas Atlânticas e o Arquipélago de Cabrera, o maior parque nacional de Espanha na terra e no mar, particularmente importante pelas sua pradarias.

Nas Ilhas Canárias os parques nacionais do Teide e do Timanfaya oferecem impressionantes paisagens vulcânicas enquanto que no Parque Nacional de Garajonay, vale a admirar a exuberante vegetação primaveril, quase inexistente no sul da Europa.



Também na Andaluzia, o parque nacional de Sierra Nevada oferece numerosas atividades numa paisagem de montanhas espetaculares onde é possível admirar até sessenta variedades diferentes de flores.

Portugal tem treze parques naturais e apenas um parque nacional, mas que parque! O esplêndido Parque Nacional de Peneda-Gerês, no norte do país, abriga o lobo ibérico e a águia imperial, num mundo de contrastes entre o granito e uma vegetação exuberante.

Sul da Europa


A Grécia possui dez parques nacionais que cobrem um terreno de aproximadamente 69 mil hectares.
O Parque Nacional do Monte Olimpo, cujo nome evoca os deuses da mitologia, representa o que há de mais belo nas paisagens montanhosas do sul do Mediterrâneo. O parque nacional Vikos-Aoos possui barrancos incríveis. O menor parque nacional da Grécia é o de Ainos, na ilha de Cefalônia: sua função é proteger as espécies locais de perennifolia, os pinheiros de Apolo.

O Parque Nacional Cabo Sounion, limitado pelo Mar Egeu e as Cíclades, foi conhecido durante séculos como o “lugar sagrado” onde se localizava o templo de Poseidon.

Em Creta, o Parque Nacional das Montanhas Brancas, conhecido como Barrancos de Samaria, atrai muitos visitantes. Na região Dikiti Makedonia, o parque nacional Prèspès apresenta os lagos Mikri e Megali Prèspa separados por uma faixa de areia formada por depósitos aluviais e rodeados por altas montanhas.

Com vinte e três parques nacionais, a Itália está entre os países que mais preservam seu patrimônio ambiental na Europa. O Parque Nacional Gran Paradiso, no Val d’Aosta, toma o seu nome do pico de mesmo nome, cujo cume atinge 4600 metros. Os Alpes italianos também abrigam o Parque Nacional Stelvio.



O maior parque e o mais recente é o parque nacional Pollino, onde ainda se encontram trinta espécies de lobos e pinheiros, alguns dos quais datam do último período glacial e podem medir mais de 40 metros de altura. O parque nacional de Abruzzos é o mais antigo dos Apeninos, e apresenta as últimas colônias de ursos do norte da Europa, camurças e lobos. O parque nacional do Vesúvio protege o meio ambiente do famoso vulcão.

O Parque Nacional de Triglav na Eslovênia toma o seu nome do monte Triglav (2864 metros de altura) e é um dos símbolos da Eslovênia e dos Alpes Julianos. As suas íngremes ladeiras se suavizam gradualmente e se transformam em suaves vales ladeados de rios.

O Parque Nacional de Göreme, no centro da Capadócia, na Turquia, é um espetáculo fantasmagórico de colinas arredondadas e elevações rochosas. Durante as épocas dos romanos e das perseguições dos árabes os habitantes se refugiaram em casas escavadas na rocha. Uma forma linda de conhecer esta área é voando de balão.

Por fim, se tiver a sorte de ir ao Chipre, não perca a oportunidade de visitar os parques nacionais das ilhas, em especial o parque florestal nacional Troodos, um dos lugares do Mediterrâneo com maior diversidade de vida vegetal.