Devido ao seu território diversificado, a Lombardia não tem uma tradição gastronômica homogênea. Sem contar o panetone, o prato característico de Milão é o “ossobuco in gremolada su risotto allo zafferano” – ossobuco com molho e arroz com alçafrão. Sem dúvida nenhuma, metade da região Lombardia, se identifica com a “casoeula” – prato a base de vários pedaços de carne de porco e repolho.

Mantoava se destaca com o “agnoli antica” – sopa com uma certa quantidade de vinho tinto; os “tortelli di zucca” – massa recheada com abóbora, e a “sbrisolona” – doce típicos à base de farinha, amêndoas, açúcar, ovos e manteiga.

Entre as cidades de Bergamo e Brecia, são típicos os “Casonsei” – massa grossa a base de salame, pão, ovos e queijo. Em cremona é possível saborear o “torrone alle mandorle” – torrone de amêndoas e a “mostarda senapata” – mostarda picante. Enquanto na província de Pavia, o “salame di oca” – salame de ganso e o salame di Varzi, são apreciadíssimos.

No lago de Como, são típicos os raros peixes secos ao sol, os “Missolttit” – composto de pescadas ao lago, primeiramente secos e depois cozidos na brasa ou na panela e geralmentes acompanhados de polenta.

Na Valtellina encontramos a “Breasola” – carne de boi magra, salgada em escabeche e maturada; os “pizzoccheri”, talharine composto de farinha, fermento e grãos saraceno; a “polenta taragna” – temperada com queijo derretido e o “Viulin” – presunto montanhês, muitas vezes difícil de ser encontrado, por ser sazonal.

Os queijos típicos mais importantes são: o grana padano, o gorgonzola, o taleggio, o bagos e o bitto. Excelente e entre os melhores da Itália, está o azeite extra virgem de Garda. Os vinhos que contam com dois pontos de excelência são:”Franciacorta” pelos espumantes, e o Brut e Valtelina pelos tintos.