A culinária calabresa é de origem antiga e muito nobre. Registra uma linha limite entre as grandes cozinhas meridionais, a napolitana e a siciliana.

Entre os pratos característicos, encontramos o “Suffrittu” – miúdos de animais com tomates e pimentões, a “sagne chine” – lasanha recheada de carne de porco, ervilhas, mussarela e ovos cozidos; a “Tiella”- congumelos e batatas; a “fogazza” – pizza fechada com vários recheios e depois a “mustica”- peixes pequenos, salgados, cobertos com pimenta malagueta, elemento base da cozinha calabreza, e conservados no azeite.

Merece ser citada a “liquirizia” – alcaçus, e por fim, doces, em grande quantidade a base de mel, amêndoas e figos secos, que ressaltam a tradição da Magna Grécia ou do Oriente. Nas docerias encontram-se os “mostacciolli”, “cannoli”, marzipan, o típico torone gelado, além dos “fichi secchi” – figos secos, recheados e feitos de todos os modos.

A antiga sabedoria chega também nas cantinas, onde o vinho mais conhecido é o Cirò, que era oferecido aos vencedores dos jogos olímpicos da Grécia antiga. Recentemente surgiram outros tipos de vinhos, devido a novos frutos de antiggos vinhedos, como os gregos e magliocco.