Cidade de Venezia
Site: http://www.comune.venezia.it

A cidade de Veneza é famosa e única pela sua estrutura que se extende sobre mais ou menos 120 ilhas, separadas por numerosos canais e coligadas entre elas por mais de 400 pontes.

A região lagunar tinha já sido ocupada antes das migrações provenientes da península (569-637) devido aos ataques dos longobardos na pianura padana. Enserida no exarcado de Ravenna, que a administrou por meio dos patriarcas de Aquiléia, tornou-se autonôma instituindo o dogado (o primo Doge foi Paoluccio Anafesto, 692).

Os monumentos e as igrejas da cidade serãm divididos em sentido cronológico: da fase medieval correspondem as igrejas de S. Giovanni e Paolo (1246-1430), de S. Pietro e Paolo (sec. XIII), de S. Maria Gloriosa dei Frari (1336-1492), de S. Maria del Carmine (sec. XIV), de S. Stefano (sec. XIV-XV), e também a magníifica estrutura do Arsenale (1104-sec. XV).

Ao período do renascimento temos as igrejas de S. Maria dei Miracoli (1489), de S. Salvador (sec. XV), de S. Sebastiano (sec. XVI), do Redentore (1577-92), de S. Giorgio Maggiore (1565-83) enquanto o grande templo realizado pelo pagamento de um voto é a Igreja de S. Maria della Salute (1631-81) um exemplo do barocco veneziano.

A Basilica dei Santa Maria Gloriosa dei Frari, normalmente chamada simplesmente os Frari, é uma das igrejas maiores de Veneza e tem o estatus de Basílica. Os franciscanos obtiveram terra para erigir uma igreja em 1250, mas o edifício não se acabou até 1338. De forma quase imediata empreenderam-se os trabalhos para substituí-la por uma maior, a igreja atual, que levou quase em um século construir e se acabou em meados do século XV. A imponente igreja está construída em tijolo no estilo gótico italiano.

San Giorgio Maggiore é uma basílica sobre a pequena ilha de San Giorgio Maggiore, em frente à Piazzetta em Veneza. Faz parte do monasterio homónimo. A fachada em forma de templo clássico, com uma sozinha entrada, com quatro colunas compostas sobre altos plintos, com um entablamento por em cima sustentando um tímpano clássico. A solução inventada por Palladio para esta fachada é fantasiosa e é uma contribuição original à resolução de um dos problemas mais sentidos pelos arquitetos renacentistas, isto é, encontrar o modo de dotar de um aspecto inspirado no templo clássico a um edifício tripartito como a igreja cristã de três naves. O sereno interior de proporções perfeitas também é típico de Palladio. O edifício acabou-se em 1576, enquanto a fachada completou-se em 1610 por Vincenzo Scamozzi, trinta anos após a morte do maestro.

A Basílica de San Marcos é o principal templo católico da cidade de Veneza (Itália) e a obra mestre da influência bizantina no Veneto. Encontra-se justo no lado oposto à Fabbrica Nuova. Sua construção foi iniciada em 828 para guardar o corpo de San Marcos. Foi queimada em um motín no 975 e reconstruida no século XI por arquitetos e operários de Constantinopla. As obras iniciaram-se provavelmente em 1063, e o novo templo foi consagrado dez anos depois.

O Palazzo Ducale, situado no extremo oriental da Praça de San Marcos, é um dos símbolos da glória e o poder de Veneza. Edifício de estilo gótico, suas duas fachadas mais visíveis olham para a lagoa de Veneza e a praça de San Marcos. O palácio foi sede do governo, da corte de justiça e prisão da República de Veneza.

Palazzo Fortuny foi fundado no final do século XV pelos nobres Pesaro, que viveram nele até o século XVIII, quando se transferiram a Ca' Pesaro. O palácio converteu-se durante um tempo em sede da Accademia Filarmonica degli Orfei, daí o nome de Palazzo Pesaro degli Orfei com que que se conhecia então.

A Ponte de Rialto é a ponte em arco mais antiga e mais famosa sobre o Grande Canal, na cidade italiana de Veneza. Ela foi formalmente a única ligação permanente entre os dois lados do Grande Canal, até abrirem as restantes travessias. A primeira construção que cruzou o Grande Canal foi uma ponte flutuante, construída em 1181 por Nicolò Barattieri.

A Biblioteca Nazionale Marciana ou de San Marcos, santo patrão da cidade de Veneza, Itália, é uma das mais antigas bibliotecas depositarias de manuscritos do país e mantém uma das colecções de textos clássicos maiores do mundo. Localiza-se na piazetta da praça de San Marcos no coração de Veneza.