Cidade de Senigaglia
Site: http://www.comune.senigaglia.it

As origens de Senigallia são ligadas aos acontecimentos de Galli Senoni, população proveniente da zona de Marselha, chegando na Itália no V sec. a.C. ocupando parte do território sob o domínio dos Picenos e fundando a própria capital.

Conquistada pelos romanos na batalha de Sentino (295 a.C.). tornou-se um importante centro comercial da região. Foi saqueada pelos Godos de Alarico (400 d.C.), mas desabrochou sob o domínio dos Bizantinos fazendo parte do Exarcato de Ravenna.

Após as conquistas de Astolfo (751) foi por breve tempo dominada pelos Longobardos, mas com a imediata vinda de Carlos Magno (773-774) este expulsou os longobardos do centro e do norte da Itália. Em consequência, Senigallia foi doada à Igreja fazendo então parte do chamado Patrimonium Petri. No XII sec. torna-se município livre defendendo a Igreja no confronto entre os guelfos e guibelinos.

Torna-se logo feudo dos Malatesta e dos della Rovere sob o ducado de Urbino (1474). Foi nesta fase histórica que se construíram o Palácio Ducale e a Fortaleza, pois a defesa da cidade era ameaçada pela invasão turca.
Entre o 1600 e 1700 a cidade passou por um período de forte desenvolvimento graças a sua vocação comercial e o seu porto, um dos maiores do Adriático. Importante é também a "Feira della Maddalena" que a torna famosa em todo o mondo.

Senigallia é um baú de arte e demonstra através de um de seus maiores monumentos: a Fortaleza Roveresca, construída sobre precedentes fortificações que datam da época romana. A Fonte da praça do Duca e Palazzo Ducale e Palazzetto Baviera na mesma praça. Imperdível um passeio pelos Pórticos Ercolani, situados ao longo do percurso das antigas muralhas.

Entre os edifícios religiosos: a Igreja della Croce, Igreja della Madonna, o Duomo.