Cidade de Ragusa
Site: http://www.comune.ragusa.gov.it

Perto de Modica, na parte setentrional da Sicília, surge Ragusa, cidade de origem antiguíssima e a cidade mais importante no sul da Itália.

O seu território, na parte da colina de Ibla, resulta povoado desde o III milênio a.C. como comprovado pelos achados e pelas necrópolis da época sucessiva (VIII sec. a.C.) mas, seja como, for pré-helênica.

Com a chegada dos gregos, os siculos recuaram para o interno e fundaram Hybla Heraia.

Caindo em mãos gregas, foi testemunha do confronto entre cartagineses e siracusanos (V e IV sec. a.C.) até a chegado dos romanos (III sec. a.C.).
Com o fim do Império Romano, as sucessivas invasões dos godos e vândalos e o breve reinado ostrogodo, que se concluiu com a guerra greco-gótica em 535, Ragusa passou aos bizantinos e foi fortificada. Os mesmos bizantinos iniciaram também a costrução de um castelo.

Conquistada pelos árabes em 848 esteve sob o domínio destes até a conquista normanda da Sicília. Em 1091 a cidade foi dada a Goffredo d'Altavilla, filho ilegítimo do conde Ruggero, e assume um aspecto medieval que se reconhece ainda hoje em algumas áreas de Ragusa.

Depois dos Svevos e Angioinos, Ragusa esteve sob a família Chiaramonte em 1296, e, sob a qual foi unificada no condado de Modica.
No XV sec. sob os Cabrera, Ragusa passou por uma fase de desenvolvimento econômico e social.

Com o terremoto de 1693, Ragusa perde o Castelo e grande parte do seu patrimônio arquitetônico. A cidade desce das colinas para expandir-se na atual área de Corso Itália. Uma expansão que prossegue depois em direção à zonas mais altas durante XIX e XX sec. até o ponto em que a cidade foi divida em duas cidades dferentes (1865).

Em visita à cidade, se sugere: o Museu Arqueológico Regional Ibleo, que conserva uma importante coleção de antigos achados de diversas épocas: pré- histórica, sicula, grega e romana.

Também, a Catedral de S.Giovanni Battista (XVIII sec.) e S.Maria delle Scale que coliga as duas cidades assim como a grande escadaria entre Ragusa Superior e Inferior.

Se vai portanto ao Duomo de S.Giorgio (1738) de cúpola neoclássica.