Cidade de L'Aquila
Site: http://www.comune.laquila.it

A cidade, já idealizada por Federico II de Svevia, foi construída em 1254 sobre os restos de uma precedente postação romana de nome Amiternum. Resurgindo em 1266 como libero Comune, ou seja, município livre, depois da destruição por parte do Rei Manfredi (1259), contava com 99 praças, 99 fontes e 99 castelos, cada um com o próprio síndico. A união dos síndicos constituía a “câmara” da cidade, tendo como chefe um camerlongo.

Graças à autonomia política e administrativa, o desenvolvimento econômico e territorial foi rápido. L’Aquila obteve a sua própria moeda, um verdadeiro privilégio da época medieval, e deu impulso a algumas atividades específicas, como a indústria da seda, da lã e dos rendados, e também a cultura do açafrão, o qual a fez assumir um papel, depois de Nápoli, de centro mais importante do Reino Angioino.

O seu declínio começou ao invés disso nos últimos anos do século XV e nos primeiros do XVI, quando L’Aquila se viu envolvida nas guerras entre Espanha e França, apoiando primariamente Carlo VIII e após o imperador Carlo V.

Numerosos são os palácios do 1500 e os monumentos barrocos ou neoclassicos que se encontram ao longo do centro histórico da cidade.

No importante Castello do 1500, construído pelos espanhóis, está a sede do Museu Nazionale d’ Abruzzo.