Cidade de Gubbio
Site: http://www.comune.gubbio.pg.it

Gubbio é renomada pela excepcional riqueza de monumentos e pelo fascínio de seu aspecto medieval que se conservou inalterado no decorrer dos séculos. Tradicionais manifestações do folclore da cidade são anuais como a corsa dei ceri (que tem como meta o Monte Ingino, 827 mt, local onde surge a basílica de Sant’Ubaldo, padroeiro da cidade) e o palio della ballestra.

O Renascimento em Gubbio, uma cidade que foi amada pelos Monfeltro, é testemunhado pelo Palácio Ducale, este também gravemente danificado pelo terremoto, do qual possui um estupendo pátio de honra, que coliga os núcleos pré-existentes, é obra de Francesco di Giorgio Martini; o célebre “studiolo” de Federico, realizado alguns anos após aquele de Urbino, do qual se inspira, com os marchetados trompe- l’oil de uma insupuperável virtude, é hoje, reconstruído, no Metropolitam Museum de Nova York.

No final do XV e no XVI desenvolveu-se em Gubbio uma extrordinária atividade de arte cerâmica, verdadeira pintura a lustre, com iridescentes estrias de ouro e vermelho rubí, da qual técnica, imitação de um antigo procedimento islâmico largamente difuso na Espanha, foi importada na cidade de Deruta. Um excepcional artista foi o Maestro Giorgio que elaborou a refinada técnica, transformada em atributo da figuração, especialmente na realização de histórias, destinguiu-se assim clamorosamente que as louças eram enviadas a Gubbio por numerosas oficinas da Itália central para serem lustradas.

No Palácio dos Consoli fica a sede do Museu Arqueológico (moedas fundidas em Gubbio de épocas umbro/romanas e as famosas Tavole de Gubbio), e a Pinacoteca, que conserva as pinturas dos artista umbros desde o XIV (Madonna col Bambino de Palmerucci) no XVI (Madonna della Misericordia de Sinibaldo Ibi), relíquias do 1300 com vidros em ouro grafite, cerâmicas, sagrados vestuários empregados em cerimônias religiosas.