Cidade de Benevento
Site: http://www.comune.benevento.it

Benevènto, localiza-se sobre uma colina (colina da Guardia, 135 mt) entre os torrentes Sabato e Calore, no centro de uma fértil conca, foi pátria dos papas Vittore III e Gregório VIII. O terremoto de 1980 provocou graves danos em algumas zonas do centro histórico.

Capital dos Sanniti Irpini com o nome de Maluentem ou Maleventum, foi conquistada nos séculos IV-III a.C. por Roma, que mudou o nome para Beneventum quando ali instaurou uma colônia em 268; sete anos antes, 275, a cidade viu a derrota de Pirro, e em 214 viu aquela dos cartagineses Annone por parte dos romanos. Durante a guerra greco- gótica, foi destruída por Totila (545 d.C.), mas reconquistou a própria importância passando sob o poder dos longobardos de Zottone (571), que a elevou a ducado; foi transformada em principado em 774: o título de príncipe foi reconhecido aos seus senhores no momento da conquista francesa. O último príncipe longobardo, Landolfo VI, para salvar-se da dominação normanda se submeteu à Igreja com o papel de vassalo (1073).

Como consequência, após a sua morte (1077), a cidade passou ao Estado Pontificio. Benevento desde então, permaneceu sob domínio pontificio por quase oito séculos, governada pelos reitores da igreja, normalmente descendentes da antiga aristocracia longobarda e inicialmente eleitos pelo povo, mas logo depois nominados diretamente pelo papa e transformados no XVIII em governadores e no XIX em delegados. O domínio pontificio foi diversas vezes colocado em discussão e em dura prova durante a tormentada história da região.

Teatro do confronto entre Svevi e Angioini (1266), no XV Benevento foi por várias vezes sujeita aos reis de Napoli, com Ladislao (1408), Giovanna II (1414-18) e Alfonso d’Aragona (1443-58) que a tornou vigário papal. Novamente roubada aos papas por Ferdinando IV de Borbone (1768-774) em luta com Clemente XIII e XIV, foi ocupada pelos franceses em 1798 e entrou a fazer parte da República Partenopea.Elevada a principado por Napoleão (1806) que lhe conferiu o título em Talleyrand, retornou à Santa Sede em 1815. Centro de muitos carbonários e liberais (1820, 1821 e 1848), foi anexada ao Reino da Itália após a inressureição popular em 3 de setembro de 1860 e a ocupação da parte dos Garibaldi.

A origem abundantemente antiga de Benevento é testemunhada por um teatro romano (que data da época de Adriano, II século d.C., mas que foi restaurado por Caracala_ este podia contener por volta de 20 000 espectadores) e pelo magnífico arco do triunfo de Trajano dedicado ao imperador em 114 d.C. e que se atestou como um dos mais importantes arcos do triunfo da antiguidade; localiza-se ao início da Via Trajana para Brindisi; a estrutura possui forma de fórnice, alto 15,60 metros e largo 8,60 metros, sendo completamente decorado por baixos relevos que constituem um dos principais documentos de arte do período de Trajano e atestam a “benemerência” do imperador.

Da època medieval se têm as muralhas da cidade, o castelo ou fortaleza dos Reitores, do XIV; a Catedral do VII, com cinco navadas (reconstruída nos IX-XIII e em 1959 após os bombardeamentos da II Guerra Mundial, que a destruíram quase completamente); a Igreja de Santa Sofia em Voto (VIII), edificada no lugar do ponto de encontro das bruxas da cidade, de acordo com as lendas.

Notável é a ponte Vanvitelli, sobre o Calore.

Vastamente documentado é o Museu Arqueológico de Sannio que tem como sede o antigo monastério à esquerda da igreja de Santa Sofia e com um claustro do XII.