Cidade de Agrigento
Site: http://www.comune.agrigento.it

Fundada pelos Doros de Gela em 582 a.C., em um território já habitado pelos Siculi gregos, Agrigento (do latim Agrigentum, mas que deriva do grego Akrágas) conquistou grande importância e riqueza com o tirano Terone e colaborou com Siracusa no contrastar o predomínio Cartaginês (episódio da battalha de Imera em 480). Nos anos seguintes foi envolvida em uma lunga série de acontecimentos negativos: sob o influxo de Siracusa, em 405, destruída pelos cartagineses, foi conquistada duas vezes pelos romanos durante as guerras púnicas, quando na tentiva de conservar a independência teve que recorrer à ajuda dos cartagineses.

O fascínio de Agrigento deriva sobretudo das magníficas ruínas dos templos dóricos da colônia grega, situada no célebre Vale dos Templos, que se abre aos pés da cidade, em direção do mare.

O colossal templo dedicado a Zeus Olimpio, permaneceu incompleto, havia, como demonstram as ruínas, dimensões enormes (117 metros de comprimento por 54 de largura) era ornado de colunas, inseridas em pleno muro, alternadas a gigantes ou telamóns (estátuas masculinas que tem a função de coluna, equivalente às cariatides fêmeas), que serviam de suporte ao cornijamento: o interno havia a forma de basílica com três diferentes navadas.

Notáveis além disso o templo da Concordia, um dos melhores conservados na Sicília, aquele de Juno ou Era Lacinia, do qual permanecem quase todas as colunas, os templos de Vulcano e de Hércoles, este último de proporções grandiosas. Do templo dos Dioscuri foi reconstuído apenas um ângulo muito interessante, que tornou-se o emblema da cidade. De notável interesse também o santuário rupestre de Demetra e Persefone.

Recentes escavações ao redor do antigo monastério de San Nicola trouxeram à luz restos do bairro helênico- romano. Do período romano são o oratório de Falaride e a tumba de Terone. Em 1967 foi criado o Museu Arqueológico Nacional, ao centro do Vale dos Templos.